Acusadores

Arte e Adoração "Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Quem fala mal de um irmão, e julga a seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei; e, se tu julgas a lei, já não és observador da lei, mas juiz. Há só um legislador que pode salvar e destruir. Tu, porém, quem és, que julgas a outrem?" (Tg 4:11-12).

Já reparou como o ser humano tem uma facilidade em apontar os erros dos outros? Sabe exatamente o que está errado - na vida dos outros, mas não na sua. Sempre pronto a julgar os outros - "se alguém agiu errado merece punição pelo que fez". Mas e quanto aos nossos? Frequentemente esquecemos que todos somos pecadores (Rm 3:23).

Não é porque, muitas vezes, temos uma consequência menor ou não é espalhado na sociedade que não somos pecadores. Diante de Deus não há diferença, não há maior ou menor é tudo pecado, tudo que desagrada e entristece Seu coração. Mas é mais fácil acusar o do lado não é mesmo?

Como vimos essa semana aqui, nos achamos auto-suficientes, superiores a todos. Muitas vezes achamos que somos a própria perfeição "os outros erram, pecam, mas EU não, sou correto", essa nossa arrogância de não reconhecer que somos todos iguais e falhos nos impede de ouvir a voz do Senhor que quer nos mostrar a verdade, aonde estamos errando e O desobedecendo, afim de nos levar ao arrependimento.

Penso também que pra alguns é uma auto-defesa, "melhor falar primeiro do outro, porque assim não tem como apontar o meu erro"; meio que 'instinto de preservação'.
Assim montamos nossa postura de corretissimos e colocamos a máscara do Adorador Perfeito. Mas no fim apenas nos revestimos da armadura do orgulho, da fofoca, da acusação. Lemos em Tiago 4 "quem somos para julgar alguém?"

Em Jo 8 conta a história da mulher pecadora que foi perdoada por Cristo e recebeu uma nova chance: a possibilidade de uma vida diferente. Conosco também é assim, quando pararmos de julgar e cuidar da vida dos outros e passarmos a olhar nossa própria vida, vamos ver o que em nós desagrada a Deus, ou seja, reconhecer nossos pecados e nos reconciliarmos com Ele novamente, e receber essa nova chance.

Quando entregamos tudo ao Senhor, confessamos nossos erros e pedimos perdão, aos poucos Ele vai transfomando nossa vida - não para que sejamos melhores que os outros mas para vivermos pela graça e conscientes de nossas falhas.

Se revista do amor do Senhor e ao invés de usar seu 'julgamento' demonstre esse amor. Use a compaixão ao invés de condenação, ensine e ajude ao seu próximo a não cair no erro novamente. Através da oração já ajuda seu irmão. À medida que somos moldados pelo Senhor percebemos que também erramos e somos todos dependentes da graça de Deus. E assim podemos dar um nova chance aos outros como Deus nós dá também. Não seja instrumento de tropeço mas sim de benção nas mãos de Deus!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Deus Espírito Santo

Armadura de Deus: Capacete da Salvação

Armadura de Deus: Escudo da Fé